CPFL | 100 Anos Gerando História
Projeto Memória Viva
Home -  Nossa gente -  Aloísio Ramos Guersoni
acesso rápido:

Aloísio Ramos Guersoni

Aloísio Ramos Guersoni

Veja em: 256 Kbps

Reavaliando a história

Aloísio Ramos Guersoni teve uma carreira muito movimentada na CPFL. Por ser considerado um profissional que sabia resolver problemas e estruturar departamentos, passou por diversas áreas. E seu conhecimento se amplia quando o assunto é a história da relação da CPFL com a Cesp sob o ponto de vista da cultura organizacional e também de políticas e práticas de gestão. "Houve muito embate entre as duas companhias, por terem culturas e processos operacionais muito distintos", diz.

Tendo vivido a época em que a CPFL era uma estatal estadual, Aloisio Guersoni fala com muita clareza do período em que André Franco Montoro era governador. "Em pleno restabelecimento da democracia no Brasil, o governador Montoro criou um ambiente tão democrático dentro da CPFL que acabou se instalando um oba-oba democrático por causa das comissões de funcionários e da atuação do sindicato. Não estou falando mal da democracia. Pelo contrário. O que estou ressaltando é que as coisas acabaram se invertendo numa proporção tão grande, que houve até funcionário pedindo a cabeça do chefe", relembra.

Já do período em que o governador de São Paulo era Orestes Quércia, Aloisio Guersoni se recorda do excesso de apadrinhamento e da grande interferência da vida político-partidária dentro da CPFL. "Tínhamos de empregar quem o governador indicasse, mesmo sendo gente sem qualificação", relembra o administrador.