CPFL | 100 Anos Gerando História
Projeto Memória Viva
Home -  Nossa gente -  Márcia Guido
acesso rápido:

Márcia Guido

Márcia Guido

Veja em: 256 Kbps

“A preocupação com a política e a cultura parece fazer parte do DNA da empresa.”

Márcia Guido se formou em biblioteconomia em 1982. Ingressou na CPFL em 1981 como estagiária e em 1983 foi efetivada, permanecendo na organização por trinta anos. Ela tem de fato um olhar especial sobre a empresa e consegue alinhar duas visões: uma mais sociológica e racional, e outra mais emotiva. "A preocupação com a política e a cultura parece fazer parte do DNA da empresa", afirma.

Márcia fala dos principais momentos da história da CPFL que têm ligação direta com sua vida profissional e pessoal. O primeiro foi o movimento de mulheres da CPFL para que a empresa criasse uma creche, o que acabou acontecendo no governo de Franco Montoro (1983-1986), com o apoio da primeira-dama, dona Luci Montoro.

O segundo foi o movimento pelas Diretas Já. "Nessa época foi criado um grupo de funcionários para participar da pró-redemocratização do país. Quem presidia a CPFL era o professor Rogério Cerqueira Leite, e o governador era Franco Montoro. O professor Rogério incentivava a participação dos funcionários no movimento político. que entendia ser importante para o país. A empresa chegou a alugar ônibus para levar o pessoal ao Anhangabaú [centro de São Paulo], para participar do grande comício a favor das eleições diretas", relembra.

O último grande destaque na trajetória de Márcia foi o projeto da biblioteca, no período inicial da privatização. "Era um período de incertezas quanto à permanência da biblioteca na empresa e quanto à minha própria permanência. O Wilson havia acabado de chegar à CPFL, e resolvi procurá-lo para dizer que tinha um projeto muito interessante para a biblioteca, que incluía dar um melhor aproveitamento ao estacionamento da companhia", conta Márcia. O presidente gostou de sua abordagem e lhe deu poucos dias para apresentar um projeto para o tirar o estacionamento daquele espaço e implantar ali a biblioteca. "Recorri aos especialistas da empresa para formatar um projeto em tempo curtíssimo, porque não me conformava de o estacionamento estar num espaço excelente e de grande visibilidade. Quando apresentei ao Wilson a proposta de mudança do espaço físico, ele gostou. Foi assim que a biblioteca foi conquistada e eu permaneci nela até hoje", lembra.